Diferença entre ultrassom microfocado e macrofocado

Publicado por FisioFernandes em 07/07/2022 - Nenhum comentário


Diferença entre ultrassom microfocado e macrofocado

Entenda a diferença entre ultrassom microfocado e macrofocado.

Muito se fala sobre ultrassom para fins estéticos, mas essa tecnologia conta com algumas particularidades, dependendo do fim a que se propõem. 

Confira a diferença entre ultrassom microfocado e macrofocado, como funcionam e qual a finalidade de cada um.

 

Ultrassom HIFU

Batizado de HIFU – High Intensity Focused Ultrassound (ou simplesmente Ultrassom Focalizado de Alta Intensidade, em português) é uma técnica moderna, que traz vários benefícios e atua através de potência alta e da focalização de ondas, o que possibilita a liberação de mais energia e uma maior interação com os tecidos tratados.

As ondas sonoras do HIFU se concentram em pontos específicos, com controle da dispersão de energia. Isso provoca o surgimento de microzonas de coagulação cuja variação térmica fica entre 65º e 75°C, o que lhes confere capacidade para atingir até as camadas mais profundas da pele.

Essa energia focalizada atinge o tecido por disparos, que promovem uma contração dos tecidos de forma não invasiva e não cirúrgica. As contrações imediatas do colágeno iniciam um processo de síntese de colágeno novo, além de fazerem com que o tecido retraído fique mais firme. Vale destacar que esse tratamento não impõe restrição alguma à exposição ao sol ou à rotina de trabalho, pelo fato de que a epiderme não sofre dano algum.

 

Ultrassom microfocado e macrofocado

Há basicamente dois tipos de Ultrassom Focalizado de Alta Intensidade: o Ultrassom Microfocado e o Ultrassom Macrofocado.

Como os próprios nomes sugerem, o ultrassom microfocado é destinado ao tratamento de pequenas áreas, tais como face e pescoço, enquanto o macrofocado é aplicado em grandes áreas do  corpo, tais como abdômen, braços e joelhos, além de outras áreas que possuam pequena concentração de gordura, como a região da papada, por exemplo.

Cada um desses equipamentos possui especificidades quanto às ponteiras e cartuchos que o acompanham, o que possibilita uma variedade maior de tratamentos, em diferentes tecidos e profundidades epiteliais.

 

Ultrassom microfocado

Por se tratar de um tratamento mais superficial e indicado para pequenas áreas, como rosto e pescoço, geralmente o ultrassom microfocado é procurado por pessoas cujo objetivo é a redução da flacidez facial ou tratamentos de rejuvenescimento.

Os pontos de coagulação individual são criados nas várias camadas epiteliais, atingindo até a fáscia muscular. Esses micropontos gerados pelos disparos das ondas estimulam prolongadamente a produção de colágeno e elastina e provocam a nutrição da pele, de dentro para fora.

O ultrassom microfocado tem ainda uma ponteira mais profunda que atinge o sistema músculo-aponeurótico superficial da face e pescoço (conhecido como SMAS), responsável por auxiliar a sustentação da pele. Assim, pela contração desse sistema, ocorre um efeito de lifting imediato, que continua evoluindo com o tempo e cujos efeitos fisiológicos podem perdurar em torno de seis meses.

Trata-se simplesmente de um lifting imediato e não invasivo, pois não envolve cirurgias.

Assine nossa newsletter

 

Ponteiras microfocadas

As ponteiras utilizadas no ultrassom microfocado possuem diferentes aplicações, conforme a profundidade da pele que conseguem atingir:

 

Ponteira de 1,5 mm a 2 mm

A ponteira com essa profundidade reduz levemente a pigmentação da pele, clareando-a, além de melhorar as linhas superficiais, como as rugas localizadas ao redor dos olhos.

Após poucas sessões de tratamento, já se nota uma redução considerável da quantidade de melanina na pele e o desaparecimento das rugas.

 

Ponteira de 3 mm

As ponteiras que atuam nessa profundidade têm como objetivo promover um aquecimento do tecido, que visa a contração da pele, mais conhecida como efeito “skin tightening”.

Esse aquecimento, ao atingir o colágeno estrutural da pele, entrega precisamente a quantidade de energia necessária para estimular a produção de colágeno.

 

Ponteira de 4,5 mm

É com a ponteira que atinge essa profundidade que o sistema SMAS é alcançado, causando o efeito lifting. A propósito, é essa mesma camada  que se trabalha em procedimentos de lifting cirúrgico. O SMAS é estimulado ao ser atingido pela onda de ultrassom, e a contração gerada por esse estímulo causa o efeito lifting imediato.

 

Eficiência

Se comparado aos tratamentos que utilizam radiofrequência, especialmente no que diz respeito à profundidade, temperatura e precisão na deposição de energia, o HIFU Microfocado é infinitamente mais eficiente, pois consegue atingir temperaturas maiores nos pontos focais, numa profundidade maior e de forma mais precisa.

 

Artigos Relacionados

 

Ultrassom macrofocado

Ao contrário do HIFU microfocado, o ultrassom macrofocado é destinado ao tratamento de áreas maiores do corpo, pois seu disparo alcança estruturas bem mais profundas como o tecido adiposo e o SMAS, por exemplo.

 

Ponteiras macrofocadas

Enquanto as ponteiras do ultrassom microfocado chegam a, no máximo, 4,5 mm, os transdutores macrofocalizados podem alcançar profundidades bem maiores, que podem variar entre 8 e 13 mm.

 

Indicações do ultrassom macrofocado

Por ser capaz de tratar camadas bem mais profundas da pele, o ultrassom macrofocado é indicado para redução de tecido adiposo, rejuvenescimento da pele e para melhora de tônus e elasticidade da pele, o que causa uma redução da flacidez.

 

Ultrassom e a gordura localizada

Depois de entender a diferença entre ultrassom microfocado e macrofocado, é importante compreender também como a tecnologia age na gordura localizada.

O ultrassom macrofocado emite ondas sonoras dotadas de uma enorme quantidade de energia que provoca um efeito de cavitação associada. Com a alteração da pressão das microbolhas de gás dos líquidos e tecidos orgânicos, essas microbolhas aumentam de tamanho até explodirem. Em consequência disso, as membranas das células de gordura são danificadas, por serem sensíveis às altas temperaturas e à vibração gerada.

Uma vez rompida, a célula de gordura sofre a lipólise, ou seja, se converte em gliceróis e ácidos graxos, conteúdo liberado no espaço intersticial, e podem ser metabolizados pelo fígado ou oxidados em tecidos que demandem consumo de energia.

Esse processo gera uma redução do número de células no local tratado, pois foi destruído o tecido adiposo que, desde que consumido em forma de energia, traz como consequência a redução da gordura localizada anteriormente acumulada.

Quer saber mais ou ficou com alguma dúvida em relação à diferença entre ultrassom microfocado e macrofocado? Deixe seu comentário. Será um prazer poder ajudar!

E-book Protocolo de Tratamento para Gordura Localizada com Heccus Turbo - Baixe agora!


0 0 votes
Article Rating
Inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments